sábado, 11 de dezembro de 2010

Shélyga

Quando tinha dez anos, meus pais pastorearam uma igreja em Capela do Alto, uma cidadezinha do interior de São Paulo, depois de Araçoiaba. Como morávamos em São Paulo, íamos pra lá toda sexta-feira. Tínhamos culto sábado e domingo quase o dia inteiro. Quando chegamos lá, a igreja tinha apenas oito membros e meus pais fizeram um trabalho muito bonito, deixando mais de cem membros em apenas um ano de pastoreado. Nesse tempo, eu e meus irmãos nos enturmamos e conhecemos quase todas as crianças da cidade.

Teve uma amiga que foi especial pra mim. O nome dela era bem exótico, assim como sua aparência. Ela tinha olhos bem grandes cor de mel, nariz e boca bem pequenos, cabelos cacheados e mais claros nas pontas queimados do sol, magra e desengonçada... e pra completar, seu nome era Shélyga. A família dela tinha uma história complicada, como a maioria dos membros da igreja. O pai bebia e ficava agressivo com a mãe, além das traições. Até que foram embora pra aquela cidadezinha pra fugir da violência.

Passávamos muito tempo juntas, fazendo coisas simples de criança, e como era bom! Quantas lembranças naquela casinha quase sem teto, enquanto sua mãe trabalhava vendendo coisas pra poder sustentar a casa. O cheiro do café da tarde, o carinho de rostos desconhecidos, os presentes modestos tão verdadeiros. Shélyga tinha a mesma idade que eu, vivíamos trocando coisas, e minha mãe brigando comigo rs...

Até que eu fiquei doente. Fui operada às pressas de apendicite, mas depois de algum tempo, houve complicações e peguei uma baita infecção hospitalar. Morei no hospital por mais de dois meses, mas feliz por não ter que operar novamente.

Quando enfim voltei pra igreja, super feliz por poder rever minha amiga, ela me recebeu com lágrimas nos olhos, e me abraçou com força dizendo o quanto estava feliz por me ver novamente. Isso eu não esperava e pra falar a verdade, naquele momento eu fiquei meio sem graça, sem entender o porquê de tanto drama. Só muito tempo depois fui saber que infecção hospitalar é coisa séria.

E hoje, depois de tanto tempo, as vezes me pego me lembrando desse momento. Vejo em meus pensamentos aqueles olhos emocionados, vindo me abraçar. Amizade fiel assim, quase que nunca mais. Guardei isso em mim as vezes pra ficar triste, por não ver mais amizade assim.

Não sei mais por onde Shélyga vive, mas eu desejo a ela toda a felicidade do mundo! Ela nem sabe mas, ainda hoje, é aquele momento que me faz lembrar de como eu era quando pequena, de como alguém de fora gostou de mim de uma maneira especial...

E como eu gostava dela...

21 comentários:

Assuntados disse...

Muuuito linda a história!
Realmente nos entristece em saber que é tão dificil encontrar amigos de verdade, que nos ame como somos...
Deus nos ajude...

Deus abençoe vc Dani!!!

Abração!

Wilton Lima - Assuntados
( http://assuntados.blogspot.com )

Diogo disse...

NOss, muito legal vc compartilhar isso! Preciso de amigos...

Murta disse...

Lindo!

nomundodealice disse...

Ah Dani...tenta achar sua amiga Shélyga!!!
Fiquei com lágrimas nos olhos ao ler essa história, pq em se tratando de amizades verdadeiras, compartilho do mesmo sentimento que vc...hj em dia não se vê mais
:(
Deus te abençoe!!
Vivi

Ruthinha disse...

Nossa que lindo , até chorei ..rs sério!
A história dessa menina me fez lembrar de um livro que li , o nome é "Uma mulher chamada Dâmaris"(Janette Oke), lindo Dani, me fez recordar.

Muito legal ter compartilhado isso!
devemos trazeer a memoria essas amizades que hoje em dia, nesse mundo é raridade , é raro sentimentos assim tão verdadeiros.

Beijos!

Beijos.

Marih Alves disse...

Dani, você já tentou procurar sua amiga pelas redes sociais ?
Tentei encontrar Shélyga no orkut...mas só encontrei ShélEga!
A moça se encaixa com a descrição que vc deu, ela tem olhos e bo pequenos, tem olho grande (rs), cabelo enrolado, castanho claro... (tudo bem que ela deve ter mudado, pois cresceu)
Se vc tive acesso ao orkut, o perfil é esse:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=11129335800464155548
Se for ela.. ficarei feliz por ter ajudado...
Beijão, fica com Deus

LD disse...

Tive uma amiga assim.
Quando eu e minha familia fomos pra Portugal a missões...

Longe de parentes,conhecidos...longe da terra natal. Outra cultura,outro clima, pessoas diferentes...

Deus me deu a oportunidade de ser abraçada por uma amiga como a Shélyga.

E até hoje a minha "Shelyga" faz a diferença em minha vida.

Deus te abençoe, Dani.

DaniElle Gonçalves disse...

Oi Dani, como vai?

Sei que vc está acompanhando o Leonardo, durante a turnê pelo Norte e Nordeste... Mas cá estou, para dizer que adorei conhecê-la pessoalmente, vc e a Fabiana, aqui em Macapá.

Sou Danielle e sempre via seu nome sendo mencionado no blog do LG7, já imaginava que vc era a esposa dele!

Seu blog é do jeito que eu gosto, não tem aquele puritanismo forçado de pessoas que dizem ser evangélicas. Gosto de muitas coisas que vc gosta, filmes, fotografia, moda, enfim.

Ah estou lendo também Senhor dos Anéis, estou no O Retorno do Rei, bem legal, o escritor é mais do ótimo! Outra coisa, achei vc super estilosa!

Acho que é isso, desculpa a tietagem!

Tiago Rodrigues disse...

Oi Dani, sou pastor na IASD Central em Campinas, e ler o seu blog tem sido uma experiência sempre muito agradável.
Que Deus te abençoe muito, e saiba que através dos seus posts Ele me abençoa!

Pr. Tiago Rodrigues
prtiagorodrigues.blogspot.com

Preto disse...

bonita história. simples, mas muito significante.
foi um prazer te ver aqui em parauapebas-pa. foi uma surpresa. nem imaginava que vc viria. primeiro vi uma fotógrafa e até achei parecida com vc, mas vc estava muito branca (rs), achei que vc tivesse a pele um pouco mais escura. mas quando vc pôs seus óculos, aí eu tive certeza...rs
bom, vc canta de mais. eu ouvia a turma do barulho sem saber que era vc.
espero que seu cd saia logo, tenho quase certeza que vou gostar.

DENISE MACHADO disse...

nossa, triste fim de Shélyga e Dani... vc nunca achou ela num orkut da vida?! me deu uma melancolia...
a vida é cheia dessas coisas né? umas histórias sem fim, que de vez em quando insistem em voltar à memória...

beijocas dani que nunca mais deu nem um oizinho pra mim.

Fabiane disse...

Que história linda... É nesses momentos que percebemos quem são nossos amigos de vdd... Legal vc compartilhar isso...

Stéfani Satiro disse...

Temos que admitir, a vida compensa os momentos ruins.

Lyllo disse...

Linda sua historia Dani*
* Amigoooos !!!!!
* Sinceros !!!!
beijoos*

Lucimara Mara disse...

Muito lindo,procure-a vale a pena!!!

Lucimara Mara disse...

Muito lindo Dani,quem sabe vc a encotra,pois não é um nome comum.

Amanda disse...

Ownnn... que história linda!
Eu fico toda 'boba com os olhos marejando quando leio histórias assim...

Aline Feijão disse...

Olá Dani, posso dizer para você e todos os seus seguidores que tenho uma amizade desde a minha infância, e a tenho como um grande tesouro. Ela é minha prima de 2º grau. É linda nossa amizade e procuro preservá-la, pois nos momentos mais difíceis ela esteve comigo...é, "há amigo mais chgado que irmão. LINDA SUA HISTÓRIA. ESPERO QUE ENCONTRE ESTA JOVEM.

SilviaWutzke disse...

Sou mais uma que teve uma grande amiga na infancia... Fui procura tua amiga no face, mas parece que só tem similares no exterior, aí defato, fica difícil entender outros idiomas...
Naquela época, éramos mais inocentes, tínhamos menos receios, bloqueios e oro para que encontremos amizades profundas assim, alvas de novo. O Senhor sempre será nosso Melhor amigos, mas que Ele possa enviar um anjo para vivermos esta troca de "alma".

SilviaWutzke disse...

Sou mais uma que teve uma grande amiga na infancia... Fui procura tua amiga no face, mas parece que só tem similares no exterior, aí defato, fica difícil entender outros idiomas...
Naquela época, éramos mais inocentes, tínhamos menos receios, bloqueios e oro para que encontremos amizades profundas assim, alvas de novo. O Senhor sempre será nosso Melhor amigos, mas que Ele possa enviar um anjo para vivermos esta troca de "alma".

Lisandra disse...

Linda a historia!

www.agarotacrista.blogspot.com