sábado, 19 de dezembro de 2009

Loney, Dear



Nils-Emil Svanangen é o nome dele, tem trinta anos, é suéco, toca clarinete e mais alguns instrumentos da mesma família, guitarra, violão e começou a fazer seus cds no seu simples home stúdio em seu apartamento e no porão da casa dos pais. Eu, que sempre preferi bandas com vozes masculinas, ou cantoras masculinizadas na atitude vocal, musical e artística, me identifiquei muito com esse artista, que é o oposto do que descrevo. Ele é um músico com uma linha melódica e harmoniosa afeminada e sua voz é também muito melindrosa. Ele tem uma voz pequena e introspectiva. Suas músicas são esperançosas e a sequência harmônica é simples, mas o que dá o toque único em sua música são seus experimentos com instrumentos de orquestra em suas composições de corpo pop, basicamente. Fica parecendo que você está em um teatro ouvindo um concerto pop, se é que você me entende. Nos palcos, ele conta com alguns amigos camaradas.

Ele é susesso em quase toda Europa, é um sucesso no meu coração também. Estou bem feliz porque o cd novo do Loney, Dear está sendo a trilha sonora principal na minha viagem. Estranha, a sensação que a arte dele me causa. Fico com saudade e com vontade de chorar, feliz e com vontade de soltar gargalhadas, é inspirador e desesperador.
Já compramos toda discografia dele, pena que não estará fazendo shows pelos lugares que vou. Quem sabe ele não vá ao Brasil? A Yael Naim foi..

2 comentários:

c. disse...

Po Dani, que legal que vc gostou assim. pra mim hj em dia é tao raro me sentir verdadeiramente tocada por algum som novo.... imagino que pra vc nao seja tao diferente. é sempre um folego bom achar coisas que tocam a gente de verdade. bjo, e voltem logo.

Alex Gois disse...

cara Daniela, me interesso pela figura do Compositor. A do Cantor, me empolga, mas o compositor me choca...e esse cara do Loney, Dear.... vixe...., bem esse cantor/compositor...tem me marcado pertubadoramente...
Parabéns pelo refinamento e obrigado pela indicação...
Que cansaçopenos traz esta canção Ignorant Boy...(meu peito geme "ai" em cada compasso)...
Demais essa sensação...